segunda-feira, outubro 14, 2013

de de Por:
POST DESABAFO

A gente mal acaba de se recuperar do processo de exterogestação e a pessoa já vem e pergunta quando vai vir o próximo, quando o irmãozinho vai chegar, ou quando vamos ter uma menininha pra formar um casal....

Acredito que todas as mães já ouviram isso, ou ainda ouvirão.

Aqui em casa, planejamos não ter mais filhos.
O Pietro é muito amado, não só por nós mas por todos à sua volta, e eu sou muito feliz em poder dar a ele todo esse amor, e ver como ele é feliz com a vida que tem.
Quando as mães querem ter outro filho, elas dizem que não querem que o primogênito cresça sozinho, que acha importante ele ter alguém pra brincar, e aprender a compartilhar as coisas e tudo o mais, que eu já ouvi milhões de vezes.
Não estou dizendo que isso não acontece, eu tenho 3 irmãos e estou muito bem, obrigada!
Acontece que ser filho único não é tão ruim assim, e para ter um segundo filho muita coisa precisa ser pensada. De que adianta eu engravidar novamente apenas para que o Pietro não cresça sozinho e mimado se não estamos financeira nem psicologicamente preparados para isso? Digo psicologicamente porque uma criança exige muito de nós, muito mesmo... mexe com nosso físico e emocional. E eu tenho um problema sério de ciúmes com ele, quero abraçar o mundo junto com o Pietro pra não ter que dividir, e assumo meu erro, sei que estou errada, mas se tiver outro filho agora, como isso me afetaria psicologicamente? Certamente eu não daria conta e o psicólogo seria o melhor caminho.

Tudo depende muito do jeito que os pais criam seus filhos, e não acredito que porque ele é filho único será assim no futuro.

O Pietro me completa, o meu lado materno já é totalmente ocupado por ele e não tem nenhum buraco lá esperando ser preechido por outra pequena vida.
Claro que se por acaso eu engravidar novamente a outra criança será amada e cuidada da mesma maneira que o Pietrinho, mas isso não está nos meus planos, pelo menos não agora.

Quero deixar bem claro aqui que isso não é uma crítica a mães de dois, três, quatro ou seja lá quantos filhos tiver, é apenas uma opinião minha, sobre um desejo MEU de ser mãe de um, apenas.

E da mesma maneira que quando a mamãe está grávida do segundinho sofre aquela pressão por ter que ser do sexo oposto porque todo mundo quer um casalzinho, a mãe de filho único tbm sofre essa pressão de quando virá o segundo para fazer companhia para o mais velho.

Quem sabe daqui uns anos, não mude de ideia? Muita coisa muda o tempo todo, e não posso garantir que JAMAIS , em hipótese alguma terei outro filho. Digo apenas que, por hora, o Pietro me basta.
E estamos muito felizes assim.

Mamãe, Papai, e Pietrinho.




Comentários
2 Comentários

2 comentários:

  1. Oi, Saah!! O blog está lindo e vcs também! Acho que não só existe a pressão da sociedade pelo segundo filho, como existe, muito mais forte, pelo primeiro. Tenho amigos que não pretendem ter filhos e a família deles pira só de pensar no assunto! Na minha visão, é uma decisão sensata. É difícil caminhar fora do que a sociedade planejou para você. =) Acho que a gente tem que ser feliz! Antes de querer ser mãe, eu passei uns 25 anos da minha vida não querendo ser, porque gostava de ter as coisas do meu jeito e de não ter nada com o que me preocupar! E sabia que as coisas mudariam se eu tivesse filhos. Mas, no meu caso, o tempo passou e minhas vontades mudaram. Eu ainda adorava minha liberdade, mas queria mais um filho do que ela. =) E foi uma decisão consciente. =) Acho bacana você saber o que quer, independente do que as pessoas esperam de vc! É um exercício diário sabermos o que realmente queremos e o que fazemos porque somos levadas pela vida. =) Um beijo grande para vc e para o Pietro!!!

    ResponderExcluir
  2. A menina... esse é um assunto que as x gera polêmica mas penso que cada um sabe de si e se sua decisão é ter apenas um filho que seja. Sempre haverá alguém para criticar nossas decisões seja ela qual for.
    Eu por exemplo tive o segundo filho depois de 9 anos e recebi críticas por ter esperado esse tempo, Mas oque importa é o amor e carinho que criamos e educamos nossos filhos não é mesmo??
    E deixe que falem.
    Bjs!!

    Carlah Ventura
    Blog intensa Vida

    ResponderExcluir