segunda-feira, março 10, 2014

de de Por:
Está rolando por aí no Facebook, um texto falando sobre as crianças tercerizadas, quem já viu? (quem não viu, tá aqui ó). Eu li os dois textos, li os comentários, li o feedback no facebook e fiquei tããão impressionada com as coisas que li, que as vezes penso que sou mais "neurótica" que pensei que fosse, porque não é possível isso gente!

O primeiro texto que fala sobre pais que fazem filhos e largam eles no mundo aos cuidados de outrass pessoas sem nem ao menos se dar o trabalho de trocar uma fralda, ou dar um banho, quem dirá saber da alimentação da criança (beijos e abraços nem pensar né?), mas não é qualquer criança, é a SUA criança, a pessoa faz (ou não faz) isso com o seu próprio filho, como assim?

A questão não é parar ou não de trabalhar para cuidar das crianças, é muito maior que isso, conheço muita gente que trabalhou a vida inteira e são pais impecáveis, em que vemos amor transbordando de seu peito, vemos a alegria da criança e o mais importante a INTIMIDADE da família, a questão é simples e pura em NÃO CRIAR o filho, é não dar amor, não se preocupar, não cuidar da criança.

Não consigo descrever minha tristeza ao pensar na criança; no que ela sente, na saudade de seus pais, na vontade de ir dar um beijo, e mesmo tendo a a babá sempre ali, e a ame, sabemos que não é a mesma coisa. Se um dia a babá pedir demissão (já que ela tbm tem sua vida pessoal), alguém já pensou em como ficaria o coração da criança em saber que a única pessoa com quem ela tem intimidade, e amor de fato simplesmente um dia não aparece, nem no outro, nem no outro... Ter de se acostumar com outra profissional, que pode mudar a qualquer momento também.

E a estabilidade emocional dessa criança?
São cenas que confesso pra vocês que vi apenas em filmes, que pensei que fosse mais difícil de acontecer na vida real, mas que acontece adoidado por aí sem pensar nas consequências.

sabe o que eu sinto? TRISTEZA.

A babá vai trabalhar na segunda feira e pega a criança assada porque os pais não trocaram suas fraldas no fim de semana, a professora que manda bilhete para os pais trocarem as roupas de seus filhos uma vez por dia pelo menos, a outra criança que ficou X dias sem comer porque só come com a babá e a babá foi viajar.

Olha quantos absurdos?

E novamente, sabe o que eu sinto? TRISTEZA.

Aquele papo que lemos por aí: Fazer filho é fácil, agora ser PAIS de verdade.. é outro esquema, é outra conversa, é para poucos.

(DESABAFEI)

Comentários
0 Comentários

0 comentários:

Postar um comentário